Home
Serra Potiguar
Martins

Martins

Serra Potiguar

Para quem acha que o Rio Grande do Norte é só litoral, sol e mar, uma grata surpresa é conhecer as Serras Potiguares, a 360 km de Natal, onde está localizado o município de Martins. A temperatura média no inverno de é 16º. C, podendo chegar até a 13º. C.

A cidade tem uma população de cerca de 8 mil habitantes e fica localizada na região serrana do Alto Oeste, em altitude média de 750 metros.

Entre junho e agosto, Martins vive o seu o "clima" especial de inverno, atraindo muitos turistas que curtem o friozinho e a gastronomia local e seus festivais de "fondue".

Em julho, a Martins promove o seu festival gastronômico, com uma festa que reúne gastronomia, cultura e shows de artistas potiguares.

Casa de Pedra, uma atração imperdível

As atrações naturais de Martins também atraem os turistas, como os mirantes do Canto e da Carranca, além da Casa de Pedra, uma enorme gruta distante 12 km do centro de Martins.

O local pode ser acessado por uma trilha de cerca de 4 km descendo a partir do Mirante da Carranca ou de pau-de-arara, que faz o percurso com grupos de turistas.

Informe-se na recepção dos hotéis de Martins sobre est e serviço de pau-de-arara que pode ser contratado com guias turísticos.

Os guias Darildo e Alex fazem os passeios na região serrana e podem ser contratados para acompanhar grupos. Eles podem ser localizados pelos celulares (84) 9968-0254 e 8807-0450, respectivamente.

Darildo e Alex promovem um citytour a pé para conhecer igrejas, museus, a Casa de Cultura e a casa de Júlio Marcelino, um pesquisador que tem um acervo com fósseis pré-históricos de animais que viveram na região, como preguiça gigante, mastodonte, tatu gigante, entre outros.
São duas saídas, uma pela manhã e outra à tarde, com duração média de 2 horas.

A Casa de Pedra é a segunda maior gruta calcárea do Brasil  e está locaizada no pé da serra de Martins. No seu interior, um grande salão chama a atenção dos visitantes, assim como o seu teto com as estalactites.

Essas formações rochosas sedimentares se originam no teto e vão crescendo para baixo, em direção ao chão da caverna. As estalactites são deposição de carbonato de cálcio levado pela água que goteja do teto, apresentando normalmente uma forma tubular ou cónica.

Além de estalactites, a gruta de Martins apresenta formação de estalagmites, que são formações minerais que crescem a partir do solo caverna em direção ao teto.

Na Casa de Pedra, logo na entrada do salão principal, uma estalagmites chama a atenção pela sua altura, lembrando um pouco um obelisco, uma coluna que se afunila em direção a sua parte mais alta.

A visita a Casa de Pedra é feita com o acompanhamento do guia Francisco Galvão de Miranda, o "Titico", como é mais conhecido, que é morador da região. Com lanterna e um facho de luz, ele mostra o interior da caverna e conta suas estórias.

Os mirantes oferecem bares e restaurantes com petiscos e pratos variados, além é claro de belíssimas vistas panorâmicas que permitem observar mais de 30 cidades do Rio Grande do Norte e Paraíba localizadas em um raio de cerca de 70 km. À noite, as luzes dos centros desses municípios brilham facilitando a sua localização.


Onde ficar?










Publicidade

Publicidade